Rir (ainda) é o melhor remédio...

...E tristezas não pagam dívidas...e por aí fora! Como tal, é convidada(o) a desfrutar de alguns momentos de boa disposição. Divirta-se ... ... e tome um cafezinho!!!!

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

1117. Memórias de elefante...

A primeira telenovela portuguesa...
Foi transmitida na RTP1 entre 10 de maio e 24 de Setembro de 1982, em horário nobre. A realização esteve a cargo de Nuno Teixeira e o argumento a cargo de Francisco Nicholson...

1116. Há dias de sorte...



Diz a professora de português a um aluno que estava distraído:
- Tu aí! Diz-me dois pronomes!
O rapaz assusta-se, põe-se a pé e diz:
- Quem? Eu?
- Muito bem, podes sentar-te...

1115. Memórias de elefante...

Sabes escolher e preferes Schweppes...


1114. Amigo...do pai...



O miúdo chega a casa todo contente e diz ao pai:
- Pai, tenho boas notícias!
- Ai sim? Ora conta lá.
- Lembras-te do computador que me prometeste se eu passasse de ano?
- Sim...
- Já não precisas de gastar dinheiro!

1113. Falsas esperanças...



Uma mulher maravilhosa bate à porta do vizinho e diz:
- "Olhe, cheguei agora, estou com uma vontade louca de me divertir, de me embebedar, de fazer sexo a noite toda...você está ocupado esta noite?"
- "NÃO!!!"
-"Nesse caso ... pode ficar com o meu cão?"

1112. Esperteza saloia...

O Manuel foi, na segunda-feira, a uma loja de sapatos. Escolheu, escolheu e acabou se decidindo por um par de sapatos de cromo alemão.O vendedor entregou o sapato, mas foi logo advertindo-o:
- Sr., estes sapatos costumam apertar os pés nos primeiros cinco dias.
- Não tem problema. Eu só vou usá-los no domingo que vem.

1111. Modernices...


quinta-feira, 27 de setembro de 2012

1110. Teria sido melhor se fosse um papagaio...


Depois de ser a maior atração do jardim zoológico durante vinte anos, o elefante morre.
Ajoelhado ao lado do enorme cadáver do paquiderme, um homem chora desconsoladamente.
O público observa, guardando um respeitoso silêncio.
A dada altura diz uma senhora para um dos funcionários do zoo:
- Coitado... Devia ser ele quem tratava do elefante... Provavelmente desenvolveram uma relação emocional e agora ele sente a perda...
- Não, não. Ele é o nosso coveiro!

1109. Vista milagrosa...


O rapaz chega a casa e vai ao frigorífico.
Quando abre a porta do frigorífico depara-se com uma foto de uma modelo esbelta, em fato de banho.
Pergunta ele à mãe:
- Ó mãe... Que é esta foto dentro do frigorífico?
- Isso? Fui eu que pus aí para ter atenção à minha figura e não comer demasiado, que é para ver se emagreço.
- Ah... E está a resultar?
- Bem... Eu já emagreci 3 quilos... Mas o teu pai já engordou 5...

1108. Uma questão de castidade...

Um alentejano foi a uma loja comprar uma camisola de lã para o Inverno que se aproxima. Quando saiu reparou que numa outra loja, da mesma rua, havia uma camisola igual, mas muito mais barata. Voltou à loja e falou com a empregada:
- Desculpe, mas na outra loja há uma camisola igual e muito mais barata!
Explica a empregada:
- Mas, meu senhor, esta é de lã virgem.
Resmunga o alentejano:
- Por este preço, lá quero saber o que as ovelhas fazem à noite!

1107. Problemas de audição...

Um gajo pequenino entra num elevador e depara-se com um preto enorme lá dentro. O preto olha para o pequenino e decide apresentar-se:
- 2,05 metros de altura, 152 quilos, pénis de 30 cm, testículo esquerdo de 1,2 quilos, testículo direito de 1,2 quilos… Vítor Costa.
O gajo pequenino desmaia. O preto pega no pequenino, reanima-o com umas bofetadas na cara e abanões.
- Que se passa? Tem algum problema? – Pergunta o preto.
Responde o tipo pequenino:
- Desculpe, mas o que é que você disse?
O preto repete:
- 2,05 metros de altura, 152 quilos, pénis de 30 cm, testículo esquerdo de 1,2 quilos, tomate direito de 1,2 quilos… Vítor Costa.
O gajo pequenino suspira de alívio e diz:
- Ahhhh… Vítor Costa! Graças a Deus! Eu percebi …..”vira-te de costas”.

1106. Há uma primeira vez para tudo...


Um sujeito para o carro junto a um café na província, entra e repara num cartaz que dizia: "Temos sandes de tudo!"
O sujeito pergunta ao empregado:
- Olhe lá... Tem mesmo sandes de tudo?
- De tudo!
- Pois, pois... E se eu pedir algo que não têm dizem-me que está esgotado, não é?
- Olhe... Já vi que não acredita, mas isto aqui funciona assim... Você pede, e se o dono, que é o meu pai, não fizer a sua sandes como você pediu, ele dá-lhe 50 euros!
- Ui... Está a falar a sério?
- Estou! Ora peça lá!
- Ah é? Então olhe, quero uma sandes de rabo de cavalo com mostarda do Nilo e morangos da Amazónia maduros em pão de centeio barrado com manteiga de cabra!
O moço vai até à cozinha, fala com o pai e ouve-se os dois a discutir e o pai a gritar ao filho que não tinha nada que fazer aquela proposta a toda a gente que aparecia.
O dono do estabelecimento sai então da cozinha, visivelmente zangado, dirige-se à caixa, abre-a, tira uma nota de 50 euros, entrega-a ao homem e diz:
- Lamento mas não podemos satisfazer o seu pedido...
O homem pega na nota, sorri e diz, conforme a mete ao bolso:
- É tramado, não é?
- Pode crer... Em 20 anos que aqui estou, é a primeira vez que me pedem pão de centeio!